Auditoria Contábil

Auditoria Contábil

 

A auditoria contábil é um processo de análise da situação contábil da empresa que permite atestar a precisão dos registros contábeis, identificar falhas de controle ou mesmo fraudes e irregularidades na gestão.

 

Ela é realizada a partir do exame de documentos contábeis e de inspeções internas, contando ainda com a apuração de informações junto a fontes externas (CIRCULARIZAÇÃO).

 

Os tipos mais comuns de trabalhos de auditoria são:

– Auditoria de demonstrações financeiras.

– Revisão limitada das demonstrações financeiras.

– Análise e validação de saldos contábeis.

– Análise das obrigações acessórias relacionadas à área contábil.

 

O  auditor  é capaz de apresentar ao empreendedor uma opinião embasada sobre a realidade econômica, financeira e patrimonial do negócio, permitindo ao empresário conhecer os problemas, suas causas e consequências  e receber orientações sobre possíveis correções a implantar.

 

A auditoria pode  ser realizada  em qualquer empresa, inclusive naquelas de pequeno porte. Sua realização compete a um auditor com formação em Ciências Contábeis e registro no Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

 

Ao empreendedor, cabe acompanhar de perto esse trabalho, disponibilizando todos os dados solicitados. Caso a empresa tenha um contador, ele pode auxiliar nessa etapa, mas a análise das informações é restrita ao auditor, que deve agir com total independência e imparcialidade, clareza e objetividade, seguindo como base as normas nacionais e internacionais de contabilidade.

 

O processo é realizado em conformidade com o estabelecido pelas normas brasileiras de auditoria.

 

Os procedimentos que um bom auditor segue são:

A) Pesquisa: é a etapa de reconhecimento. O auditor obtém um entendimento preliminar das operações, coleta informações sobre o negócio e sua organização, consulta manuais da empresa e de associações comerciais, além de outros documentos.

B) Planejamento: Com as informações colhidas na pesquisa ambiental, o auditor passa à escolha de estratégias que se mostram mais efetivas e eficientes. Ele especifica os procedimentos a adotar para obter evidências, incluindo a aplicação de testes a serem realizados sobre os controles contábeis.

C) Controle interno: Antes de passar à fase de testes, o sistema contábil e controles contábeis são documentados em detalhes. Após a documentação, cada um desses controles é avaliado preliminarmente para determinar os pontos fortes e fracos do sistema.

D) Teste de controle: O teste de controle, ou de observância, busca determinar se ele está sendo cumprido conforme as normas prescritas. O objetivo é verificar se os procedimentos de controle interno estabelecidos estão em efetivo funcionamento e dentro das regras aplicáveis.

E) Teste substantivo: Neste teste, o auditor desenvolve e executa os procedimentos substantivos através dos quais busca assegurar a exatidão dos valores e outras informações disponíveis nas demonstrações contábeis.

F) Parecer ou relatório do auditor: Nesta etapa, o auditor avalia os resultados obtidos nos testes e revisa a adequação das demonstrações contábeis e notas explicativas, o que dará origem ao relatório de auditoria, redigido em acordo com as normas brasileiras de contabilidade.

 

A auditoria contábil pode concluir que os processos atuais estão adequados e vêm sendo bem executados ou pode identificar erros ou fraudes.

 

E qual é a diferenças entre erro e fraude?

Fraude: ato intencional de omissão ou manipulação de transações, adulteração de documentos, registros e demonstrações contábeis.

Erro: ato não intencional, resultante da omissão, desatenção ou má interpretação de fatos na elaboração de registros e demonstrações contábeis.

 

A diferença está na intenção ou não de cometer a irregularidade.

 

São exemplos de fraudes:

A) Manipulação, falsificação ou alteração de registros ou documentos

B) Apropriação indébita de ativos

C) Supressão ou omissão de transações nos registros contábeis

D) Registro de transações sem comprovação

E) Aplicação de práticas contábeis indevidas.

 

São exemplos de erros:

A) Erros aritméticos na escrituração contábil ou demonstrações contábeis

B) Aplicação incorreta das práticas contábeis

C) Interpretação errada das normas e legislação aplicável nas circunstâncias.

 

Quando o auditor identifica erro ou fraude, deve comunicar de forma verbal ou escrita ao gestor, e não a terceiros (por razões de sigilo profissional), sugerir medidas corretivas e renunciar ao trabalho caso elas não sejam atendidas.

 

Já quando a irregularidade é identificada no nível gerencial ou de diretoria, o profissional deve analisar o caso e se achar conveniente pode abrir mão da tarefa.

 

Use a auditoria contábil como uma espécie de diagnóstico da sua empresa. Não espere que ela seja a responsável por resolver eventuais problemas, mas sim apontá-los.

 

Os benefícios de uma auditoria contábil são:
– Segurança financeira e confirmação e validação das demonstrações contábeis, financeiras e econômicas;
– Melhorias e aperfeiçoamentos dos controles internos;
– Facilidade na obtenção de empréstimos;
– Garantias de competitividade e sustentabilidade do negócio no mercado
– Governança corporativa mais eficaz e confiável aos olhos de sócios, acionistas,  governos e demais interessados na empresa.

 

Caberá aos gestores tomarem as decisões efetivas que vão conduzir a empresa para o caminho correto.

 

A decisão sobre quando realizar a auditoria é sua meu caro empresário.

 

Se considerar essa uma medida extrema, tenha primeiro uma conversa franca com seu sócio e seu contador.

 

Muitas das suas dúvidas podem ser esclarecidas dessa forma.