Negociação Salarial

NEGOCIAÇÃO SALARIAL

 

Estes são os passos para uma negociação salarial.

 

Próximo a data base de cada categoria profissional, empregados e empregadores começam as reuniões tentando um acordo, que vai vigorar durante os próximo 12 meses, através de seus respectivos sindicatos.

 

1 – O sindicato dos trabalhadores faz uma assembleia com a categoria para conhecer seus anseios e sua pauta de reivindicações. Em geral são assembléias pouco representativas, com um pequeno número de trabalhadores.

 

Neste momento o sindicato aproveita para tentar aprovar propostas que lhe interessam, como por exemplo elevar o valor das contribuições sindicais.

 

2 – As empresas maiores e organizadas também reúnem seus diretores, gerentes e chefes para levantar seus anseios e pontos que devem constar do acordo. Estas informações embora devessem não são repassadas aos empregados.

 

3 – Após elaborar a pauta de reivindicações, o sindicato chama nova assembléia de trabalhadores para aprova-la. Em geral já se sabe que conseguira obter apenas 1/3 dos itens da pauta, tanto em tamanho como em valor econômico.

 

Esta pauta é devidamente registrada da DRT e entregue ao sindicato patronal.

 

4 – É marcada uma reunião com as comissões negociadoras de ambas as partes. Conforme as negociações avançam, e dependendo da necessidade os sindicatos dos trabalhadores vão chamando as assembléias para mudanças na pauta e aprovação de novas propostas.

 

Os membros das comissões negociadoras são cuidadosamente escolhidos: um deve ser calmo, outro agressivo, e um terceiro conciliador. O objetivo é desestruturar a outra parte e tornar a negociação mais favorável.

 

Cada parte tem ainda uma comissão assessora, que vai munir os negociadores de informações . Cabe a esta comissão saber a posição do governo, de outros sindicatos, resultados de outros acordos recentes, legislação, etc.

 

5 – Feito o acordo, o sindicato submete-o a assembleia de trabalhadores. Se ele for aprovado, o processo chega ao fim. Caso contrario, inicia-se o segundo tempo do jogo, com tensões e pressões de ambos os lados, incluindo a greve. Nesse caso se o conflito não for resolvido, a decisão final fica a cargo da justiça do trabalho.

 

COMO DEVERIA SER A NEGOCIAÇÃO IDEAL

  • Não interferência direta da justiça do trabalho na negociação;
  • Liberdade de organização e atuação sindical;
  • Sistema legitimo para a solução dos impasses;
  • O mediador tem que ser escolhido e aceito pelas partes;
  • Obrigatoriedade para ambos os lados fornecer informações claras e transparentes para fundamentar suas propostas.

 

O BOM DIALOGO TEM AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS

  • Confiança na negociação e na outra parte;
  • Lealdade gera confiança, boa fé, não mentir, não procurar confundir e tratar a outra parte com respeito, prometeu deve cumprir;
  • Tolerância, paciência, calma e espirito conciliador. Toda negociação tem etapas e ritmo próprio;
  • Humildade, negociação é dialogo e dialogo verdadeiro só se da entre as partes;
  • Renúncia – ambos os lados perdem um pouco para que a maioria ganhe no final;
  • Disponibilidade – é preciso se entregar a negociação com disposição.

 

CARACTERÍSTICAS DO BOM MEDIADOR

  • Neutralidade: não pode ter envolvimento entre as partes;
  • Boa e reconhecida reputação;
  • Conhecimento sobre o segmento em que vai atuar;
  • Capacidade de avaliação de aspectos econômicos e políticos que envolvem a disputa trabalhista;
  • Criatividade para propor saídas e encaminhar soluções;
  • Estabilidade emocional;
  • Ajuda ter experiências em negociações.